Trajetória :: Livros :: Galerias :: Fotos :: Poemas :: Crônicas :: Pensamentos :: Links :: Contato

SILÊNCIO

E da boca maldita, o sorriso covarde
Palavras não ditas, silenciosas
Abandonadas, ressoam morosas
Ecoam, ecoam ... sem nada temer
Flagelo constante...
Que me faz enlouquecer

Vagam sobre o sorriso covarde
Irremediável frustração
Desencadeando diversas decepções

Prisão irreparável, sem opção
Murmúrio inaudível
Desamparo cruel
anti-herói de minhas ilusões

MARGOT CARVALHO