Trajetória :: Livros :: Galerias :: Fotos :: Poemas :: Crônicas :: Pensamentos :: Links :: Contato

 

Se eu soubesse roubar...


Ah! Se eu soubesse roubar
Roubaria teu corpo caliente
Que clama pelo meu, como fogo que arde
E as chamas precisa apagar

Ah! Se eu aprendesse a roubar
Roubaria teus olhos, estrelas que vislumbram todo o meu ser
Despertam desejos adormecidos, mas incontidos
Diante de teu olhar
Dizendo-me: estou aqui para te amar
Aplacar o tempo perdido, teus beijos quero roubar
E em cada parte de teu corpo, o selo dos meus desejos
Quero deixar...

Minhas mãos deslizando por teu corpo
A marca do amor explosivo
Não desejo apagar

Na vida, aprendi de tudo,
Que alguém pode precisar
Só não aprendi roubar sonhos alheios
E fazer gente chorar...

Fui roubada, vulgarmente torturada
Só não conseguiram roubar, o meu “eu”
Que procura eternamente o teu

Um dia sei que vai acontecer
Não sei onde, nem sei em que lugar...
O amor verdadeiro, finalmente vai me surpreender

Nossos olhos se cruzarão
Tua alma imantada à minha
Em teus braços quero ninar
Como criança que procura abrigo
E não sabe onde vai encontrar
Ah! Se eu soubesse roubar!

Margot Carvalho