Trajetória :: Livros :: Galerias :: Fotos :: Poemas :: Crônicas :: Pensamentos :: Links :: Contato

 

Andei pelas ruas

Andei pelas ruas, avenidas, becos sem saída.

Precisava olhar para crer, bem que eu de tudo sabia!

A cada dia, os problemas aumentam. Não que eu não dê condições. Tudo pode ser resolvido com a força da união!

Sei que problemas sempre existiram e muitos! Só não sabia a proporção.

A criação de meu Pai! Perfeita! Sobre todos os aspectos, mas a situação presente uma aberração.

Jamais pensei que tomasse o rumo da destruição!

Meninos sem destino, sem família, sem teto, com pistola, cheirando cola... Desolação.

Intenso sofrimento, desventura... Enquanto deveriam ser amparados, estudando nas escolas, são pisoteados e brutalmente assassinados.

Pessoas pelas calçadas sem a mínima condição de sobrevivência, estendendo a mão à esmola, uma humilhação!

E querem ser cidadãos! Com as mesmas necessidades, braços para o trabalho, mas cadê o que está escrito na Constituição?

Moradia, saúde, educação.

Os poderosos nos mostram somente a corrupção!

Dizem que vou voltar, mas nem percebem que nunca parti. Estou sempre presente por aqui.

Constatei que o amor está em desuso, cada um só pensa em si. Não estou generalizando e sim, fazendo uma observação.

Há aqueles que agem com o coração, mas o número dos “cada um trate de si” é muito grande!

Imagino, nesta noite, onde estarão?

Algumas instituições preparam a ceia, levam presentes e muito amor no coração.

Mesas estarão vazias, sem mesmo, nesta noite, terem o arroz e o feijão.

A solidariedade transforma tudo, usando a divisão.

Se você tem muito, faça uma doação!

Se você só tem um pão, sacie a fome de seu irmão, partindo-o ao meio, em união.

Se você não tem olhado para o seu próximo, procure fazê-lo. Faz muito bem ao coração ver a fome saciada, os pés calçados, sem sentir as pedras que a vida trouxe ao seu irmão.

Peço porque somos todos irmãos com as mesmas necessidades, sentimos fome, frio, intenso sofrimento, sem distinção.

Se você veio ao mundo e nunca sentiu necessidade de saciar a fome com auxílio de um irmão, agradeça a Deus pela graça da mansidão, a vida garantida, seu prato de comida, sua roupa, seu teto, tudo necessidade de outro irmão.

Rir de alegria de ver um mundo melhor, achar graça, pois tudo que vi foi mera fantasia. Meu Pai criou a perfeição e nela, por que tanta imperfeição?

Nesta noite queria ver sorrisos de harmonia em todos os corações, transbordando de alegria, um grande abraço em torno das multidões.

Nesta noite queria todo o respeito de irmão para com irmão, palavras dóceis, tudo perfeito, abolindo a imperfeição dos corações duros que ferem o próximo com a vaidade e o orgulho dos sem amor.

Mas sei que nesta noite chorarei com muitos irmãos!

A humanidade progride, evolui numa cavalgada sem controle, em exibição.

O homem pensa em si, não no seu irmão. E, por mais que evolua em conhecimentos, não evolui em sentimentos do coração.

E nesta noite chorarei pela terra, por sentir a tristeza dos abandonados que sofrem sem a dignidade que, por força de meu Pai, clama pela igualdade.

E nesta noite desejo a todos, sem distinção, ricos, pobres, famintos um Natal de verdade, sem ressentimento, sem fome, com proteção, alegria, solidariedade, igualdade, o grande sonho meu e de meu Pai para a humanidade.

“Estou aqui, sempre estarei e, por mais que sofras te ampararei, jamais esqueças que vim ao mundo, enviado por meu Pai, para te dar ensinamentos que te libertarão.”

Margot Carvalho