Trajetória :: Livros :: Galerias :: Fotos :: Poemas :: Crônicas :: Pensamentos :: Links :: Contato

 

Renovação

A emoção de voar começa com o medo de cair.

A águia, com seus filhotes crescidos, no ninho no alto dos rochedos, com seu coração cheio de emoções e conflitos, empurra-os para o espaço, a fim de que descubram suas asas e aprendam a voar.

Enquanto seus filhos não descobrirem suas asas, não há objetivo em suas vidas.

A missão materna é cumprida, resta apenas a coragem de empurrá-los do ninho.

Enquanto não aprenderem a voar, não saberão o privilégio de terem nascido águias. É o ato supremo do amor de mãe.

A águia é a ave que possui maior longevidade.

Por volta dos 40 anos, deverá tomar uma grande decisão.

Asas, bico e unhas não conseguem mais cumprir suas tarefas. Então, só há duas alternativas: morrer ou enfrentar um doloroso processo de renovação que irá durar 150 dias.

Voa para o alto de uma montanha e se recolhe num ninho, junto a um paredão onde não necessite voar.

Bate com seu bico alongado e pontiagudo contra a rocha até arrancá-lo. Espera nascer outro e com ele arrancará suas velhas unhas.

Quando nascem as novas, começa a arrancar suas velhas penas. Depois de cinco meses, sai para seu famoso voo de renovação e poderá viver por mais 30 anos.

Em nossas vidas, muitas vezes, temos que nos resguardar por algum tempo, para começar um processo de renovação.

Mas, para que isso aconteça, devemos nos desprender de lembranças, costumes, muitas tradições que nos causaram dor.

Somente quando nos sentirmos livres para voar novamente, sem lembranças do passado, presos a conflitos, desavenças, incompreensão, poderemos recomeçar.

A renovação é sempre dolorosa e há que se ter muita coragem, pois temos que abrir mão de processos contínuos em nossas vidas.

Teremos, portanto, de ser águias, arrancar paulatinamente as amarras que nos prendem ao que nos causa sofrimento.

Assim, certamente nos sentiremos renovados, desvencilhados de tudo que nos causava dor.

Sabemos que o passado, involuntariamente, faz parte do presente, mas nem por isso façamos dele memória presente.

É possível que ele se torne bem distante, apenas breve lembrança momentânea.

Seria impossível a renovação se não tivéssemos uma história que quiséssemos deixar para trás.

Viemos ao mundo para viver o melhor possível. Então por que não nos recolher por algum tempo para alcançarmos o voo da renovação?

Somente livres aproveitaremos o resultado valioso de uma renovação: a vitória.

Margot Carvalho